Gira bicicletas: uma ideia apenas “gira”

Hoje, tentei usar novamente a Gira (após a última vez que fiquei sem serviço devido a anomalia técnica).
O resultado foi o do costume: frustração.
 
Informação errada na app, três bicicletas que não se conseguiam desbloquear, pelo menos 3 pessoas à espera. Já nem me dei ao trabalho de ligar (o meu tempo também é valioso).
 
Vender acesso a um serviço que depois não se presta tem um nome: fraude.
 
  • Conselho para os amigos: usem as vossas bicicletas.
  • Conselho para EMEL: façam o que sabem e invistam em criar estacionamentos seguros para as bicicletas privadas.
  • Aviso para EMEL: reconsiderem cobrar seja que valor for por este projecto. Quem paga sente-se no direito de apresentar reclamações junto das entidades competentes.
Este foi o meu último esforço para tentar contribuir para melhorar o projecto (não lhe chamem serviço).
 
Boa sorte e Adeus!
Anúncios
Brigada do Mar: limpeza voluntária das praias de Grândola

Filha, o problema não é o lixo, é a Ignorância

Fico sempre avassalado com a quantidade de copos, garrafas, talheres, pratos e balões que naturalmente se descartam para fazer uma simples refeição ao ar livre.

A melhor maneira de não sujar é não fazer lixo.
– Então e as crianças iam brincar com o quê?
Ouvi a resposta e remeti-me ao silêncio.

Na descida daquele sítio maravilhoso, havendo um saco do lixo vazio, na minha normal anormalidade resolvi enchê-lo para compensar a incúria de outros seres humanos que a mim se antecederam.

Perante a típica inércia atónita dos adultos e a natural indiferença das crianças, houve uma que abandonando o grupo se acercou de mim.

– Pai está aqui mais este papel.

Voltei-me e os óculos embaciaram-se com a comoção orgulhosa de reconhecer o meu sangue naquela voluntária de 4 anos.

– Bia, desta vez deixa estar. Não mexas neste lixo porque está muito sujo. Obrigado.

Desculpa filha não estar contigo este fim de semana mas o pai tem de ir ajudar os outros malucos porque as pessoas normais estão a atulhar o teu futuro de lixo.